ORBIT REPORT

O PÓS-PANDEMIA SEGUNDO A VOZ DAS REDES SOCIAIS

julho 2020

by

Logo.png

O QUE O BRASILEIRO DESEJA FAZER ASSIM QUE A QUARENTENA ACABAR?

Para responder esta pergunta, nós analisamos 3.821 comentários de brasileiros feitos no Facebook, Twitter e Instagram, entre 10 de Março e 27 de Junho de 2020, que mencionaram a frase "Quando a quarentena acabar". 

 

Os resultados demonstraram diferentes formas de ansiedade que foram sendo alimentadas pelos brasileiros durante o isolamento social, representadas em desejos como o de agradecer a Deus quando a pandemia passar, voltar a frequentar um espaço religioso, reencontrar familiares e amigos, sair de casa, beber, festejar e ir à praia. 

No decorrer das análises, ainda investigamos o quanto essas expectativas foram sendo alteradas na medida em que as principais cidades do país estenderam pela segunda vez seus períodos de quarentenas oficiais, em meados de abril.  

As principais descobertas deste estudo estão apresentadas nos gráficos interativos abaixo, e a Orbit convida vocês a interagir com eles.

Sejam todos bem-vindos! 

QUANDO A QUARENTENA ACABAR EU VOU...

Em nosso primeiro gráfico apresentamos os desejos mais citados nas redes e como eles evoluíram desde o dia 10 de Março.

Ao longo do periodo de isolamento social, os comportamentos de alguns desejos nos chamaram a atenção, em especial: 

  • O crescimento rápido das manifestações religiosas (Agradecer a Deus e ir à Igreja) no mês de Abril, momento em que os reais impactos do novo coronavirus ainda eram pouco previsíveis inclusive pela comunidade científica internacional;
     

  • A queda das manifestações de desejo de encontrar familiares e abraçar / beijar alguém já no segundo mês de isolamento
     

  • Os crescimentos dos desejos de sair de casa e beber no meio da quarentena, e sua posteriores quedas já próximas à medidas de flexibilização adotadas nas principais cidades do país.
     

  • O crescimento de desejos como o de ir a um show, frequentar restaurantes, fazer uma tatuagem e ir à praia a partir do mês de Maio, quando o periodo de isolamento nas principais cidades brasieliras já durava 2 meses.

Clique no botão "play" no  gráfico abaixo para assistir essa evolução:

QUANDO AS QUARENTENAS SÃO PRORROGADAS, SOBEM AS MANIFESTAÇÕES RELIGIOSAS, A SAUDADE DE FREQUENTAR SHOWS E REENCONTRAR AMIGOS. A SAUDADE DA FAMÍLIA, POR OUTRO LADO, DIMINUI.

Nos gráficos abaixo apresentamos os desejos mais mencionados pelos brasileiros ​divididos pelos períodos pré e pós 22 de abril de 2020, quando a quarentena oficial foi prorrogada pela segunda vez no estado de São Paulo.

 

Este recorte foi utilizado como referência de um momento em que supostamente mais pessoas tiveram a concepção que o isolamento social demoraria mais tempo do que previsto, sendo institucionalizada pela prorrogação de uma política pública no estado mais populoso do país.

A principal descoberta que este recorte nos trás é a constatação de que até 22/4 o "estar com pessoas" representava  o principal desejo do brasileiro pós-pandemia, impulsionado principalmente pelo desejo de reencontrar a família e beijar / abraçar alguém.

Já no pós-22/4, este destaque dá lugar aos desejos religiosos, motivado sobretudo pelo crescimento dos desejos de rezar e ir à igreja.

Analisando os comentários, a hipótese que atribuímos ao crescimento das manifestações religiosas se dá pelo temor sobre as imprevisíveis consequências da pandemia que permeou os brasileiros em meados de abril e maio, periodo em que o país inclusive passou pela sua primeira troca de ministro da saúde com a saída do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, em 16/4.

As manifestações de desejo de encontrar familiares, por sua vez, diminuíram, sendo ultrapassadas pelas de reencontrar amigos(as) no mesmo momento em que as estatísticas oficiais apontavam que a adesão ao isolamento nas principais cidades do país começava a diminuir, já no fim de maio e ao longo de junho. Analisando os comentários, nossa hipótese para este fenômeno é de que as pessoas aos poucos foram matando as saudades dos familiares mais próximos na medida em que flexibilizavam a quarentena, enquanto a saudade dos amigos e dos hábitos compartilhados com eles (festejar, sair, ir ao bar, frequentar shows, entre outros) continuou crescendo enquanto esses estabelecimentos permaneciam fechados na quarentena.

Já o próximo gráfico apresenta os desejos que mais cresceram e diminuíram, em pontos percentuais, nos períodos pré e pós-22 de abril, evidenciando as hipóteses levantadas na análise do gráfico anterior.

Observando os comentários, os desejos religiosos teriam crescido pelo temor das consequências da crise, que se tornaram

menos previsíveis após 1 mês de quarentena.

 

A saudade dos familiares, por sua vez, passou a dar lugar à saudade dos amigos em meados de maio e junho, quando a adesão ao isolamento diminuiu nas principais cidades do país, e as pessoas passaram a realizar seus desejos mais urgentes de rever a família.

A RELAÇÃO ENTRE OS DESEJOS: PESSOAS QUE DESEJAM REZAR TAMBÉM QUEREM TRABALHAR E EVOLUIR COMO PESSOA, ENQUANTO AS PESSOAS QUE QUEREM FESTEJAR TAMBÉM DESEJAM FREQUENTAR LOCAIS E COMPRAR.

O DESEJO DE ESTAR COM PESSOAS DIVIDE-SE ENTRE ESTES DOIS GRUPOS.

Os próximos gráficos analisam as relações entre os desejos, apontando quais foram os desejos mais manifestados pelas mesmas pessoas, a partir dos comentários analisados. 

Nestes dois grafos, as bolhas representam os desejos mais citados nas redes sociais, e seus tamanhos representam a recorrência com que eles surgiram na análise, dados que já analisamos anteriormente. A novidade aqui, no entanto, está na relação entre as bolhas: Quanto mais grossa a linha entre os desejos, mais vezes aqueles desejos foram falados pelas mesmas pessoas. criando assim "clusters" de desejos em comum pelos mesmos grupos (ex: Quanto a quarentena acabar, as pessoas que desejam fazer x também desejam fazer y).

As descobertas que este método de visualização nos dá é da formação de dois principais grupos (clusters) de desejos.

 

O primeiro, composto do centro do grafo até a bolha "trabalhar", indica que muitas das pessoas que pretendem rezar também desejam trabalhar, sair de casa e evoluir como pessoa.

Já do lado oposto do grafo, outro cluster indica que muitas das pessoas que pretendem festejar também desejam frequentar locais e e voltar a comprar.

O "estar com pessoas", por sua vez, acaba representando um grupo de desejos central mencionado por estes dois clusters, e que será melhor compreendido no grafo seguinte.

"ESTAR COM PESSOAS": SAUDADES DOS AMIGOS PRA QUEM DESEJA FESTEJAR, E SAUDADES DA FAMILIA PAAR QUEM PRETENDE REZAR.

O próximo grafo "quebra" ainda mais a análise da relação entre os desejos, transformando cada desejo em bolhas, e suas categorias, analisadas no grafo anterior, em cores.

 

Nesta visualização, nossa primeira descoberta foi de que os desejos de estar com pessoas, que dividiam-se entre os dois clusters observados anteriormente, e que aqui são representados pelas bolhas verdes, são "quebrados" pelo desejo de estar com a família, para o grupo religioso, e o desejo de estar com os amigos, pelo grupo festeiro.

Outra descoberta evidenciada pelo grafo é que o grupo religioso é quem manifestou os desejos de mudanças mais estruturais na vida pós-pandemia, como​ o de procurar emprego, trabalhar, evoluir como pessoa e atingir objetivos pessoais. O grupo que deseja festejar, por outro lado, é quem manifestou desejos mais urgentes, como o de frequentar bares, restaurantes, cinemas, shows, mudar o visual e fazer uma tatuagem / piercing. Você pode acessar todos os comentários que pautaram essa análise clicando nas bolhas e no botão "comentários" no gráfico abaixo.

O último gráfico do estudo apresenta estas mesmas relações entre os desejos de modo bi-dimensional, oferecendo agora o número de vezes que dois desejos diferentes foram manifestados pelas mesmas pessoas.

Estes números são representados pelas linhas que ligam os desejos abaixo, e para visualizá-los ​você pode passar o mouse sobre as linhas ou clicá-las para fixá-las no gráfico.

Lhe desejamos uma ótima experiência com os dados!